Passadiços do Paiva 2021
Porto e Norte

Tudo que precisa saber para visitar os Passadiços do Paiva

Depois de visitar os Passadiços do Paiva, em 2015, assim que foram inaugurados, voltei a visitá-los este ano e notei bastantes diferenças. Além de terem sido construídas infraestruturas de apoio ao longo dos anos e a entrada ter passado a ser controlada e paga, a pandemia também originou algumas mudanças. A paisagem, no entanto, continua deslumbrante e a caminhada continua a ser uma aventura a não perder.

Passadiços do Paiva em 2015

A minha forma física é que, aparentemente, não é a mesma e, depois de um ano de confinamento a fazer bolos e ver séries, a caminhada pareceu-me bastante mais desafiante. Os passadiços têm mais de oito quilómetros de extensão e se em 2015 fiz ida e volta, este ano apenas fiz a ida e foi suficiente. Embora existam vários outros passadiços em Portugal, os Passadiços do Paiva têm uma magia diferente, pois foi neles que toda esta febre começou.

Atualmente, está suspensa a venda de bilhetes no local e os bilhetes para os Passadiços do Paiva devem ser adquiridos online ou, em alternativa, na Loja Interativa de Turismo de Arouca.

Bilhetes e uso de máscara

Entre 1 de abril e 31 de outubro, na época alta, cada bilhete tem um custo de 2 euros e, na época baixa, o valor é de 1 euro. Crianças com menos de 10 anos têm entrada grátis. Os passadiços reabriram com uma lotação máxima de 2 mil pessoas por dia.

Devido à pandemia é obrigatório o uso de máscara. Mas calma, não durante todo o percurso (quem aguentaria uma coisa dessas?) É obrigatório o uso da máscara aquando da passagem do pórtico de entrada e validação dos bilhetes, na entrada e saída dos Passadiços, no acesso aos WC’s e em qualquer situação de eventual interação com terceiros. À entrada do passadiço é também feita a medição de temperatura.

Além de todas as novidades e novas infraestruturas de apoio, fomos surpreendidos pela passagem de um simpático grupo de cabras que fizeram a delicia de todos. As cabras andam livres pelos passadiços, mas tendem a desviar-se para as laterais assim que se cruzam com visitantes. Não se preocupem, estão seguros!

Ao contrário do que aconteceu em 2015, quando eu era uma jovem cheia de energia, desta vez não fiz os 16 quilómetros (ida e volta). Desta vez, fiz apenas ida. Como levamos dois carros, deixamos um junto à entrada da Espiunca e levamos o outro até ao Areinho. Se não quiserem levar dois carros, nada temam: existem táxis que vos podem levar até ao carro para não terem de percorrer mais oito quilómetros.

Fazer os Passadiços do Paiva

Existe um parque de estacionamento mesmo na entrada pelo Areinho, mas é muito limitado. Quando chegamos, um senhor simpático explicou-nos que estava cheio e que o ideal era estacionar num parque próximo e fazer uma pequena caminhada até à entrada.

Depois de passar o marco do quilómetro zero – bem ao estilo Nacional 2 mesmo – a primeira parte do percurso, desde a praia fluvial do Areinho até à ponte de Alvarenga, é em terra batida.

Depois, surge o grande vilão desta caminhada: 310 degraus para subir até à entrada dos Passadiços. Tenho de confessar que olhei para aquela imensidão de degraus e quis dar meia volta e voltar ao meu sofá. A alma saiu-me do corpo três vezes durante essa parte. Vocês não imaginam.

No entanto, esta é a forma mais fácil de fazer os Passadiços do Paiva, para quem só faz ida. Porque depois de subir 310, temos de descer 450. Ou seja, no sentido oposto seria ainda pior. Como eu fiz isto duas vezes em 2015? Não faço ideia.

Comida e Bebida

Nas extremidades dos passadiços existem bares onde podem comprar comida e. bebida e durante a caminhada, vão passar pela praia do Vau, onde existe um bar. Nos optámos por levar comida e fazer um piquenique junto à praia. É um espaço muito agradável e podem desfrutar calmamente.

Praia Fluvial do Vau - Passadiços do Paiva

A Ponte Arouca 516, a “maior ponte pedonal suspensa do mundo”, foi oficialmente inaugurada no dia 2 maio. No entanto, ao contrário do anunciado, quando foi inaugurada já não era a maior. O Nepal tem atualmente esse título. Mas, sabem? Isso não interessa. Continua a ser uma obra incrível. Durante a caminhada é possível vê-la, 175 metros acima do rio Paiva e com 516 metros de comprimento. O preço para a atravessar é de 12 euros.

Além dos Passadiços do Paiva, há muito mais que podem fazer em Arouca. Neste artigo que escrevi para o SAPO Viagens, deixei 22 sugestões para desfrutar da região.

Podem ver mais aventuras pelo norte de Portugal aqui.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.