rainha que trancou a aia num baú

Isabel de Portugal: A rainha que trancou a aia num baú

Em muitas cortes reais ao longo da história, os dramas e mistérios por trás dos muros palacianos ecoam tão intensamente quanto as proclamações públicas de monarcas. Muitas coisas foram feitas, muitas mais foram ditas e as lendas que hoje nos chegam são uma mistura de verdade e intriga. Uma dessas lendas obscuras é a de Isabel de Portugal, a rainha que trancou a aia num baú.

Esta lenda, apesar de muitas vezes obscurecida pelo véu do tempo e pelas intrigas da corte, continua a fascinar e intrigar os curiosos. A lenda termina em milagre e, quando assim é, passa ao lado dos livros de história. Mas, apesar de não passar de uma mera lenda encantada, faz parte da nossa história. Além disso, está diretamente ligada àquela que se tornou na primeira santa portuguesa: Beatriz da Silva.

Isabel de Portugal: A rainha que trancou a aia num baú

Isabel de Portugal era neta e bisneta de D. João I, o mestre de Avis. Sim, é estranho, mas vamos lá. O Infante D. João, filho de D. João I e Filipa de Lencastre, casou-se com D. Isabel de Barcelos, que era filha de Afonso, o primeiro duque de Bragança (filho ilegítimo de D. João I de Portugal e Inês Peres) e Beatriz Pereira de Alvim. Isso fazia dela neta e bisneta do rei D. João I, sendo neta porque o seu pai era filho do rei e bisneta porque o avô, Afonso, era filho de D. João I. Pela linha materna, ela era também bisneta de Nuno Álvares Pereira.

A 15 de agosto de 1447, Isabel casou-se casou com D. João II, que era rei de Castela e Leão, tornando-se assim rainha. A adaptação inicial foi desafiadora e Isabel enfrentou vários problemas, incluindo com nobres influentes na corte. Mas, além disso, e voltando ao tema deste artigo, Isabel teve também momentos de ciúmes, especialmente em relação a uma das suas damas de companhia, D. Beatriz da Silva, que a acompanhara até Castela.

Diz-se que não apenas vários nobres se encantaram com Beatriz, mas também que o próprio rei lhe dedicava atenções especiais o que deixou Isabel completamente fora de si. Reza a lenda que isso a terá levado a fazer o que o título deste texto indica: a rainha trancou a aia num baú. E o objetivo era nunca mais o abrir.

De aia a primeira santa portuguesa

No entanto, passados três dias, o tio de Beatriz, D. João de Menezes chega à corte, com o objetivo de visitar a sobrinha. Quando questiona a rainha sobre o paradeiro da sobrinha, Isabel acaba por o levar ao baú, acreditando que Beatriz estaria já morta.


O baú foi aberto, mas para surpresa de todos, Beatriz estava viva, indo contra todas as expectativas. Além de não ter falecido, a aia não demonstrava nenhum sinal de fraqueza.

O impacto de toda essa história foi ampliado quando a aia começou a falar, revelando a sua versão dos acontecimentos. Segundo ela, enquanto estava dentro do baú, a Virgem Maria teria aparecido, prometendo-lhe que ela não morreria, pois tinha a missão de fundar uma ordem religiosa dedicada à Imaculada Conceição.

Isabel trancou a aia num baú, mas nem por isso permaneceu qualquer tipo de mágoa entre elas.

Beatriz deixou a corte e foi viver para um mosteiro no mesmo ano, permanecendo lá por 30 anos, até à sua morte. Para evitar qualquer ressentimento devido à sua beleza, viveu toda a vida com o rosto coberto por um véu. Assim, a sua beleza não causaria mais ódio. Depois disso, não ninguém mais trancou a aia num baú.

Além de fundar o Mosteiro da Imaculada Conceição, Beatriz da Silva foi canonizada pelo Papa Paulo VI em 1976, tornando-se a primeira santa portuguesa. Quanto a D. Isabel, a rainha que trancou a aia num baú, a sua vida não foi fácil. Após ficar viúva, viu-se isolada em Castela, enquanto os filhos estavam envolvidos em conflitos com o herdeiro do trono.

Descubram mais lendas e tradições.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.