Holocausto
Crónica

Lembrar o Holocausto é não esquecer que tudo começou com preconceitos e exclusão

Hoje assinala-se o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Não é uma celebração, mas sim uma forma de não esquecer que o Holocausto existiu e que não pode, de maneira nenhuma, repetir-se. Embora tenha acabado em campos de concentração e câmaras de gás, O Holocausto começou nas urnas.

Há 76 anos, na tarde de 27 de janeiro de 1945, o Exército Soviético vitorioso chega a Auschwitz-Birkenau, o maior e o mais mortífero centro de extermínio do III Reich.

Todos conhecemos a história do Holocausto, dos campos de concentração, das câmaras de gás. O Holocausto foi tema de dezenas de filmes e livros, alguns deles que pouco acrescentam, é certo, mas alguns extremamente relevantes. Ninguém fica indiferente ao que se passou e ninguém o pode esquecer.

Como permitiram que o Holocausto acontecesse?

Recordo-me das aulas de história na escola quando este tema era abordado. “Como foi possível deixarem que isto acontecesse?”, perguntava-me várias vezes. Até porque não tinha sido assim há tanto tempo e esse factor de proximidade tornava tudo mais real. Sempre foi diferente analisar factos históricos com centenas de anos do que aqueles com dezenas. A Idade Média estava longe, as coisas eram diferentes, era um outro mundo e desumanidade não me chocava tanto. Mas a desumanidade tão próxima… Era incrivelmente assustador pensar que eu conhecia pessoas que viviam enquanto tudo isso acontecia. Pensar que, por exemplo, a minha avó estava a casar-se enquanto pessoas eram mortas em câmaras de gás, era chocante. Era o mesmo mundo. Ainda é o mesmo mundo.

“Como deixaram aquilo acontecer?” A questão assombram-me com mais força, porque eu sei exatamente a resposta. Frequentemente cruzo-me com pessoas (na Internet, porque não me tenho cruzado efetivamente com ninguém) que poderiam facilmente deixar um Holocausto acontecer.

E vejam bem, não são sequer loucos ou psicopatas. Provavelmente, nunca tiveram uma arma na mão, nunca cometeram um crime e todos os dias dizem bom dia ao porteiro. São pessoas simpáticas que estão descontentes. E nem os vamos censurar por estarem descontentes, afinal, quem não está?

O grande problema é que quando estamos descontentes, tendemos a procurar soluções simples e rápidas para problemas complicados. Procuramos alguém em quem colocar as culpas, criamos divisões entre “nós” e “eles”. Por fim, deixamos de questionar…

O Holocausto começou nas urnas

O Holocausto não começou com câmaras e gás e genocídio. O Holocausto começou nas urnas, com o aproveitamento do descontentamento generalizado, com a discriminação entre pessoas, com a divisão da sociedade. Sabem o que o partido nazi tinha? Tinha um discurso de mudança, fora da caixa, fora do sistema. Milhares de pessoas seguiram esse discurso sem questionar, pensando naquilo que seria melhor para si. Por fim, consideravam-se superiores. E conheço tanta gente que se considera superior. Pessoas simpáticas que acreditam que são superiores a uma determinada etnia. Não são.

Quando alguém dá voz a todas essas ideias, as pessoas acreditam na mudança. Numa mudança boa para si. Que se danem os outros afinal! Os outros são apenas os outros. Não têm valor, são parasitas. Assim, durante os anos em que Hitler esteve à frente da Alemanha, foram mortos doentes incuráveis, deficientes mentais e físicos, a troco de nada. Afinal, se não produzem riqueza, viver para quê? Ninguém quer pagar para esses “mandriões” que não fazem nada.

A solução final era tão simples. Desumana? Sim. Mas simples. Como foram capazes de perder a empatia? O descontentamento e esperança de mudança levou milhares de pessoas a ceder ao ódio, à intolerância, ao racismo e à xenofobia.

O saldo é de vários milhões de mortos, entre judeus, ciganos, pessoas com deficiência, homossexuais e tantas outras pessoas que por este ou aquele motivo se viram perseguidas. Foi um dos capítulos mais negros da história. E tudo começou com um discurso populista e uma vontade de mudança.

Quem votou no Partido Nazi e o levou ao poder em 1933 também eram alemães de bem. Também estavam descontentes. Também achavam que precisavam de uma mudança. Também acreditavam que iam ter vidas melhores. Ninguém queria ser responsável pela morte de milhões de pessoas. Mas todos sabemos como isso acabou. Se hoje o recordamos é para que não se repita.

Leia também

1 Comment

  1. O Holocausto mé uma das maiores VERGONHAS que invadem o coração do ser humano. Como foi possível acontecer? Malditos sejam aqueles que provocaram tal chacina e mortandade.
    .
    Uma semana feliz. Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.