Ponte de Londres

Londres só existe devido a uma ponte – Ponte de Londres

“Na realidade, Londres existe por causa da London Bridge”, pode ler-se na introdução do livro “London Bridge A Visual History”, de Peter Jackson (não esse, um Peter Jackson que gosta mais de pontes do que de anéis).

Durante o império romano, Londonium nasceu à volta de uma ponte e foi crescendo até se tornar na cidade de Londres que hoje conhecemos. E quanto às Pontes de Londres? Caíram, arderam, foram destruídas, remodeladas e até vendidas. A Ponte de Londres pode não ser um Cartão postal da cidade, ao contrário da Tower Bridge, mas não é por falta de história.

História da Ponte de Londres

A história da Ponte de Londres começou no ano 43 d.C., quando foi construída pelos romanos. Esta primeira ponte era uma ponte flutuante feita de pranchas colocadas sobre barcos ancorados.

A Ponte Romana de Londres

No terreno relativamente alto e seco na extremidade norte da ponte, um pequeno e oportunista assentamento comercial e marítimo criou raízes e cresceu até se tornar a cidade de Londinium. A ponte pode ter sido destruída junto com a cidade na revolta de Boudican (60 DC), mas Londinium foi reconstruída e, eventualmente, tornou-se na capital administrativa e mercantil da Grã-Bretanha romana.

Em 984, uma nova ponte fixa de madeira foi construída. No entanto, esta ponte de madeira teve vida curta, pois em 1014 os invasores vikings liderados pelo rei Olaf Haraldsson atacaram as Ilhas Britânicas e destruíram-na.

A Primeira versão em pedra

A primeira versão em pedra da Ponte de Londres foi construída entre 1176 e 1209 e, ao longo dos anos, muitas pessoas e comerciantes começaram a construir e comercializar na nova ponte de Londres, o que acabou por significar que a ponte ficou coberta por lojas e habitações. Infelizmente, estas condições precárias significaram um desastre em 1212, quando um incêndio irrompeu em ambos os lados da ponte.

Outro incêndio eclodiu em 1623, que queimou muitas casas e lojas. Devido à dilapidação da ponte e aos danos causados pelos incêndios, os comerciantes acabaram por deixar a ponte e ir negociar para outros lugares. Eventualmente, em 1657, todas as casas e lojas foram demolidas e a ponte foi alargada e parcialmente reconstruída.

Ao longo dos anos, a ponte precisou de muitas reparações, devido a danos estruturais e incêndios – incluindo o Grande Incêndio de Londres, em 1666 – mas, ainda assim, conseguiu sobreviver durante 600 anos.

A nova Ponte de Londres

Em 1825, uma nova Ponte de Londres foi iniciada. A velha ponte de Londres continuou em uso, enquanto a nova ponte estava a ser construída, e foi demolida após a inauguração desta em 1831. Da antiga ponte resta agora a antiga passagem de entrada para peões, construída na torre da Igreja de São Magno, a Igreja Marytr, na Lower Thames Street.

Vestígios da ponte de Londres Mediéval
Torre de São Magno

Em 1896, a nova ponte era o ponto mais movimentado de Londres e um dos mais congestionados. Cerca de 8 000 peões e 900 veículos atravessavam a ponte a cada hora. A ponte afundava cerca de 2,5 cm a cada oito anos e, em 1924, o lado leste tinha afundado cerca de 9 cm abaixo do lado oeste. A ponte teria de ser removida e substituída.

A venda da Ponte de Londres

Quando todos pensavam que a ponte iria ser simplesmente demolida, Ivan Luckin, membro do Conselho da Cidade de Londres, apresentou uma ideia diferente: vender a ponte. A ideia parecia uma loucura, mas acabou por ir para a frente. Em 1968, o Conselho colocou a ponte no mercado e começou a procurar potenciais compradores. A 18 de abril de 1968, a ponte foi comprada pelo empresário Robert P. McCulloch, por mais de dois milhões de dólares.

Existem rumores de que o empresário acreditava erroneamente que estava a comprar a Tower Bridge, que é mais emblemática e um verdadeiro cartão postal da cidade. No entanto, o rumor foi negado por Ivan Luckin numa entrevista a um jornal.

Uma ponte vendida e transportada para outro continente não é algo que aconteça todos os dias. O processo ambicioso, no entanto, decorreu sem grandes problemas. Antes da desmontagem da ponte, cada bloco de granito foi marcado para a posterior remontagem. Era necessário saber a que local pertencia cada peça, como se fosse um puzzle numerado.

Um navio transportou a ponte em pedaços através do Canal do Panamá e descarregou-a no porto de Long Beach, na Califórnia. De lá, a ponte foi transportada por terra para Lake Havasu City, onde a remontagem começou em 1968.

A ponte não foi reconstruída sobre um rio, mas foi construída num terreno entre a parte principal da cidade e uma península que se projetava no Lago Havasu. Depois de concluída a construção da ponte, foi criado um canal sob a ponte, vindo do lago.

A Atual Ponte de Londres

A atual Ponte de Londres foi construída entre 1968 e 1972 diretamente sobre as fundações da antiga ponte. Como a ponte era uma importante e movimentada travessia de rio, a construção da ponte foi organizada de forma a não perturbar a movimentação.

Ponte de Londres
Ponte de Londres

A Ponte de Londres pode não ser tão inspiradora como a sua vizinha, a Tower Bridge, mas a sua influência e história consolidou-se como uma das pontes mais importantes de Londres.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.