DiverLanhoso

DiverLanhoso: aventura, glamping, pontes, restaurante e mais

Serão raros os momentos em que me verão a partilhar aqui experiências que incluam aventura, atividades ou qualquer coisa que exija maior esforço do que levantar copos e levar garfos à boca. No entanto, aconteceu. Fui convidada para conhecer o DiverLanhoso, um parque de aventura a poucos minutos da Póvoa de Lanhoso, considerado o Melhor Parque de Aventura da Península Ibérica.

O DiverLanhoso oferece mais de 50 atividades de aventura – incluindo pontes suspensas, slide, salto negativo, paintball, caminha aquática e muito mais – alojamento em casas de madeira, glamping em casa suspensa e um restaurante com uma vista deslumbrante.

As atividades do DiverLanhoso estão agrupadas segundo os quatro elementos: Água, Terra, Ar e Fogo. Podem ser feitas na área do parque ou fora, como o caso da Via Ferrata, que é feita no Castelo de Póvoa de Lanhoso. Um dos locais de visitar obrigatória na Póvoa de Lanhoso.

Pontes Suspensas no DiverLanhoso

A minha primeira aventura no DiverLanhoso foi também a minha favorita: o Circuito de 38 Pontes Suspensas. Ao longo de 38 pontes diferentes, que iam desde troncos na vertical até simples arames que me fazia sentir, literalmente, na corda bamba, tive oportunidade de desfrutar da natureza e de colocar à prova o equilíbrio e destreza.

Enquanto passava por pontes, túneis e subia a rochedos, a metros e metros de altura, sem saber onde colocar os pés – qual Lara Croft em missão- fui desafiada constantemente enquanto desfrutava das paisagens sobre vales e montanhas.

No fim, demorei duas horas a fazer um percurso cuja media é 45 minutos e cujo record é 11 (não sei se acredito nisso). Mas é aquela história: “Mais importante que chegar é aproveitar a viagem”. E eu aproveitei. Não aproveitei foi mais nada na semana seguinte porque os meus braços tinham sido atropelados por esta aventura. Limitei-me aos esforços essenciais, que se resumiram a levantamento de copos. Afinal, o meu maior traço de personalidade é ser uma “lontra de sofá”, mas nestes dias no DiverLanhoso tive de me esforçar.

Slide, Salto de Pêndulo e Salto Negativo no DiverLanhoso

Depois de duas horas a fazer esforço de braços e pernas, nada melhor do que me sentar e deixar-me ir com a atividade seguinte: o Slide. Durante poucos segundos, deslizamos centenas de metros por um cabo de aço, vale abaixo, no meio das montanhas, a 65 km/h. Divertido? Sim. O máximo de adrenalina para o qual eu estava preparada? Provavelmente.

Percebi, quando estava na plataforma do Salto de Pêndulo, que aquela atividade não era para mim. Sou de Touro, um signo de Terra e é com os pés na terra que eu gosto de estar. Essas aventuras repletas de adrenalina em que é necessário deixar-nos ir e perder o controlo do corpo não são para mim. Sei que são relaxantes para muita gente, mas não para mim. Objetivo do Salto de Pêndulo é ter a coragem de cair e deixar-se levar pelo movimento de pêndulo, que se repete durante alguns momentos, até perder intensidade. É possível que eu tenha gritado “tirem-me daqui” momentos antes de ser lançada, qual Tarzan na selva? É possível. Acabei por só o conseguir fazer depois de me sentar na plataforma e fechar os olhos durante o primeiro impacto.

A atividade seguinte era o Salto Invertido, em que seria lançada a 14 metros de altura, em milésimos de segundos. O DiverLanhoso tem o único Salto Negativo natural e permanente em Portugal e tem vista para uma paisagem de cortar a respiração. Paisagem que eu não vi, pois acobardei-me e acabei por não o fazer. Não esperem muita aventura da minha parte.

Vista do Restaurante Panorâmico no DiverLanhoso
Vista do Restaurante Panorâmico no DiverLanhoso

Alojamento e Restaurante no DiverLanhoso

No fim do dia, jantei no Restaurante Panorâmico que fica no DiverLanhoso e tem uma vista maravilhosa. A comida estava incrível e todos os funcionários foram muito simpáticos. As doses são enormes, para compensar as calorias gastas durante a tarde. Além do jantar, também é o local onde é servido o pequeno almoço. No almoço, no domingo, o espaço estava cheio de famílias o que demonstra que é um dos melhores restaurantes da Póvoa de Lanhoso, independentemente do parque.

Passei a noite numa das casas de madeira do DiverLanhoso, com cozinha equipada e sala de estar e jantar. Acabei por descansar no sofá, junto à salamandra, até me arrastar para o quarto, depois de um dia incrível. Outra das opções de alojamento é o Glamping no DiverLanhoso. A Casa Terra é um Glamping suspenso em árvores, para uma experiência diferente no meio da natureza.

Caça ao Tesouro e Tiro ao Alvo

Depois de uma noite bem dormida, estava pronta para mais uma manhã repleta de atividades no DiverLanhoso. Os meus braços, no entanto, não estava assim tão dispostos. Após um dia cheio, sendo que o circuitos das pontes me deixou exausta, acabei por abdicar da via ferrata que deveria fazer no domingo.

Susana Sousa Ribeiro a fazer Tiro ao Alvo no DiverLanhoso

Assim sendo, optei por atividades mais tranquilas, mas igualmente divertidas. Felizmente o DiverLanhoso tem opções para todos os gostos! Primeiro, fiz tiro ao alvo. De momento, existem três modalidades: arma de pressão de ar, arco e flecha e fisgas. Surpreendentemente, correu tudo muito bem e até acertei em bastantes alvos. Não com as fisgas. Aí falhei. Muito. Terminado o tiro ao alvo, foi a vez de fazer a Caça ao Tesouro. Enquanto percorria o parque, ia reunindo pistas que me conduziam ao tesouro. Depois de toda a aventura, encontrei a chave do baú, onde estava o tesouro. Sai do DiverLanhoso com o coração cheio, pelo desafio, pela aventura e por dois dias diferentes e bem passados.

Fiquem atentos, porque partilharei mais aventuras no Norte de Portugal, em breve.

Leia também

2 Comments

  1. Não me meto nessas aventuras!

  2. Eu adoro lugar assim, adorei a dica <3
    bjs bjs
    https://beperes.blogspot.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.